Desenvolvimento ao longo da vida adulta

22-06-2009 21:17

O cérebro humano mede o tempo por meio da observação dos movimentos.
Se alguém for para o interior de uma sala branca vazia, sem nenhuma mobília, sem portas ou janelas, sem relógio...  começará a perder a noção do tempo.
Por alguns dias, a mente detectará a passagem do tempo sentindo as reacções internas do seu corpo, incluindo os batimentos cardíacos, ciclos de sono, fome, sede e pressão sanguínea.
Isso acontece porque a nossa noção de passagem do tempo deriva do movimento dos objectos, pessoas, sinais naturais e da repetição de eventos cíclicos, como o nascer e o pôr do sol.

Compreendido este ponto, há outra coisa que é importante referir:

O nosso cérebro é extremamente optimizado.
Ele evita fazer duas vezes o mesmo trabalho.
Um adulto médio tem entre 40 e 60 mil pensamentos por dia.
Qualquer um de nós ficaria louco se o cérebro tivesse que processar conscientemente tal quantidade.

Por isso, a maior parte destes pensamentos é automatizado e não aparece no índice de eventos do dia e portanto, quando se vive uma experiência pela primeira vez, ele dedica muitos recursos para compreender o que está acontecendo.

É quando se sente mais vivo ! !

Conforme a mesma experiência se vai repetindo, ele vai simplesmente colocando as suas reacções no modo automático e "apagando" as experiências duplicadas.
Se conseguirmos enter estes dois pontos então fica mais facil  compreender porque parece que o tempo acelera, quando ficamos mais velhos e porque os Natais chegam cada vez mais rapidamente.
Quando começamos a conduzir os automóveis, tudo parece muito complicado, a nossa atenção parece ser requisitada ao máximo.
Então, um dia conduzimos trocando de velocidade, olhando os semáforos, lendo os sinais ou até falando ao telémovel ao mesmo tempo.

Como acontece?

Simples: o cérebro já sabe o que está escrito nas placas (a pessoa  não lê com os olhos, mas com a imagem anterior, na mente); O cérebro já sabe que velocidade trocar (ele simplesmente pega as experiências passadas e usa , no lugar de repetir realmente a experiência).
Noutras  palavras,  não se  vivenciou aquela experiência, pelo menos para a mente. Aqueles críticos segundos de troca de velocidade, leitura da placa... são apagados de sua noção de passagem do tempo...
Quando se começa a repetir algo exactamente igual, a mente apaga a experiência repetida.
Conforme envelhecemos, as coisas começam a se repetir -as mesmas ruas, pessoas, problemas, desafios, programas de televisão, reclamações.. Enfim... As experiências novas (aquelas que fazem a mente parar e pensar de verdade, fazendo com o dia pareça ter sido longo e cheio de novidades), vão diminuindo.
Até que tanta coisa se repete que fica difícil dizer o que tivemos de novidade na semana, no ano ou  para algumas pessoas, na década.

Por outras palavras , o que faz o tempo parecer que acelera é a... ROTINA


A rotina é essencial para a vida e optimiza muita coisa, mas a maioria das pessoas gosta tanto da rotina que, ao longo da vida, seu dia-a-dia acaba sendo um livro de um só capítulo, repetido todos os anos.
Felizmente há um antídoto para a aceleração do tempo: M & M (Mudar e Marcar).

Mudar, fazendo algo diferente e marcar,  uma festa, ou registar os momentos  com fotografias...

Mudar de paisagem, tirar férias com a família (é importante tirar férias sempre e, preferencialmente, para um lugar
quente, um ano, e frio no seguinte) e marque com fotos, cartões postais e cartas. 

Ter filhos (eles destroem a rotina) e fazer sempre festas de aniversário para eles, e para toda a familia (marcando o evento e diferenciando o dia).
Fazer festas de noivado, casamento, 15 anos, bodas disso ou daquilo,  participar nos jantares de comemoração dos antigos soldados ou com os antigos colegas de escola revivendo as alegrias do passado, visitar parentes distantes, entrar na universidade com 60 anos, trocar a cor do cabelo, deixar a barba, ficar com a barba, compre enfeites diferentes no Natal, ir aos centros comerciais, preparar uma receita nova, tirada de um livro novo.
Escolher roupas diferentes, não pintar a casa da mesma cor, fazer diferente.

Ir a mercados diferentes, ler livros diferentes, buscar experiências diferentes.

Ser diferente !!!

Posso contar uma história que um dia li num livro, um homem que nunca tinha colocado atenção à vida, sempre preocupado com o trabalho, sem tempo para a esposa, para os filhos, para a familia, vê-se com um grave problema de saúde... Um cancro...Durante os tratamentos teve sempre o apoio da familia...de uma forma constante... Uma verdadeira familia...!

Durante os tratamentos, ele pensou em tudo... No futuro...No presente...mas principalmente no passado...Reparou que o tempo dedicado à familia tinha sido minimo... Reparou que nem um beijo da sua esposa tinha sentido no verdadeiro sentido do amor... Ele reparou que tinha perdido a vida...que não tinha vivido as experiências da vida...Ele chorou... E desde esse dia, ele passou a ver o mundo de outra maneira...A dar apreço a tudo...A viver !!!!!  Com 60 anos nunca tinha "vivido"...
É  importante viver... especialmente se já estiver reformado, viajar com seu marido, esposa ou amigos para outras cidades ou países, ver outras culturas, visite museus estranhos, deguste pratos esquisitos..... Em outras palavras...... V-I-V-A !!!

Porque se se viver intensamente as diferenças, o tempo vai parecer mais longo.

Importante estar próximo de amigos.

Amigos com gostos diferentes, vindos de lugares diferentes, com religiões diferentes, culturas diferentes e que gostam de comidas diferentes.
Enfim... O importante é viver...

E S CR E V E R em
tAmaNhos diFeRenTes e em CorES
di f E rEn tEs
!

 

Início da vida adulta

Papéis e questões

Desenvolvimento cognitivo no início da vida adulta (20-30 anos)

As capacidades intelectuais atingem o seu pico na adolescência ou início da idade adulta ?

  • Rapidez...
  • Manipulação de matrizes...

 

Maturidade ?

  • empregado                                                                  
  • financeiramente independente
  • ser pai...

Independência e autonomia psicológica...

Tomada de decisão independente...

algum grau de estabilidade...

sabedoria...

fiabilidade...

Integridade...

Compaixão...

Um só critério ?... Ou vários critérios ?

Nesta fase verifica-se:

  • pico de vitalidade,força e resistência
  • saúde
  • menor taxa de morte

Intimidade vs. Isolamento (18-30 anos)

  • No amor... fase de presmicuidade vs. exclusão...

Formação de casais

  • Atracção inicial
  • Reforço da relação
  • Compromisso e intimidade

Há que negociar fronteiras e "editar" estilos de comunicação

Familias, casais e solteiros

Portugues casam menos e mais tarde

Em 2006 foram celebrados cerca de 48 mil casamentos, menos 1.7% do que em 2005. Os homens e mulheres casam cada vez mais tarde, O norte foi a região onde se contraíram mais matrimónios. As mulheres casaram-se em média com 29 anos, enquanto os homens casaram-se em média com 32 anos. Os divórcios aumentaram 4.7% representando mais 1.082 divórcios face ao ano anterior. Lisboa e Porto registam a maior incidência de separações conjugais.

Teoria de Sterberg

http://www.psicothema.com/pdf/1135.pdf 

Sexualidade e intimidade

  •  padrões sexuais

Paternidade

 

  •  Educação
  • (re)interpretação
  • Partida

Familia em mudança: mitos do casamento, divórcio e 2º casamento

  "No casamento tudo vai funcionar se nos amarmos"... Mas no divórcio a linguagem é diferente..."Porque já não nos amamos, já nada pode funcionar" ... Mas encontra-se sempre uma nova "vida"... No segundo casamento..."Desta vez vamos fazer com que funcione, ao fazermos tudo certo"...

Posso dar outro exemplo... No casamento " o que é meu é teu"... No divórcio..." o que é teu é meu"...No segundo casamento.."O que é meu é meu e o que é teu é teu"... Ou seja há um abordar diferente as situações...

 

Generatividade vs. Auto - absorção 

O ciclo ocupacional

  • Holland

6 traços individuais de personalidade com ocupações apropriadas: 

  1. Realista
  2. Investigador
  3. Social
  4. Convensional
  5. Empreendedor
  6. artista   

2 e 5 investigador/cientista e 3 e 4 assistente hospitalar

Desenvolvimento do adulto e o trabalho

O ciclo ocupacional

Idade Super Havighurst
0 Estádio do crescimento (nascimento - 14)  
5   Identificação com um trabalhador (5 - 10)
10   Aquisição dos hábitos básicos da industria (10 -15)
15 Estádio da exploração (15 - 24) Aquisição da identidade como trabalhador na estrutura ocupacional (15-25)
25 Estádio do estabelecimento (25-44) Torna-se uma pessoa produtiva (25-40)
40   Manter uma sociedade produtiva (40-70)
45 Estádio da manutenção (45-64)  
65 Estádio de declínio (+64)  
70   Contemplar uma vida produtiva e responsavel (+70)

Mulheres na força de trabalho  

Ainda há alguma discriminação das mulheres no emprego e a determinados cargos...

Mas com a representação politica na chefia dos estados em alguns paises como na Alemanha, poderá ser o motor de arranque para que se acabe de uma vez por todas com a discriminação...

Para que não seja preciso no futuro uma lei de quotas para que 1/3 das listas a cargos politicos seja composta por mulheres ! !

 

Desenvolvimento da personalidade:

continuidade e mudança 

 Mulheres na força do trabalho

 

  1970 1975 1980 1985 1988 Proj. 2000
% Q +/=16 anos na força de trabalho  43.3  46.3  51.5  54.5  56.6  62.6 
Nº Q na força de trabalho ( em milhões)  31.5  37.5  45.5  51.5  54.7   66.8

 Statistical abstract of the United states

Departement of commerce,1990

Desenvolvimento na meia idade

Transição e cresimento ou crise ? 

 Principais causas de morte nos homens e mulheres entre os 45 e os 64 anos

causa de morte Homens Mulheres
Doenças coronárias 424.3 158.1
Cancro 347.6 192.2
Acidentes 49.2 17.7
Doenças cérebro-vasculares 40.8 33
Doenças crónicas do fígado 37.1 16.5
Doenças crónicas pulmunares 35.2 22.5
Suicídio 25.5 8.6
Diabetes 18.4 17.1
Pneumonia 17.4 8.8

Número anual de mortes por cada 100.000

Statistical abstract of the United States

 Continuidade e mudança da personalidade 

 Tarefas da meia idade  ( Havighurst )

  • Atingir responsabilidade cívica e social adulta
  • Estabelecer e manter um padrão económico de vida
  • Desenvolver actividades adultas de lazer
  • Ajudar as crianças adolescentes a tornarem-se adultos responsáveis e felizes
  • Relacionar-se com o seu conugue como pessoa
  • Aceitar e ajustar-se às mudanças fisiológicas da meia idade
  • ajustar-se aos pais que envelhecem 

Envelhecimento 

 Mito ou Realidade ?

 160 estudantes universitários na Universidade da califórnia

  • 30% da população velha e com necessidade de serviços 
  • Embora tivessem família e vizinhos idosos, se mantinham relutantes em passar algum tempo com pessoas velhas
  • Relataram ter uma actitude "preocupada" para com idosos mas também que as pessoas mais velhas tinham uma série de caracteristicas desagradáveis: senis, auto-centrados, aborrecidos, falam demais...

Como aplicar a Psicologia ?  

Evelhecimento da população: percentagem da população com mais de 65 anos

ANO TOTAL
1950 8.1%
1960 9.2%
1970 9.8%
1980 11.3%
1988 12.3%

                            Projecção

2000 13.0%
2010 13.9%

Processo de envelhecimento

Transformações:

  • físicas
  • Psicológicas
  • Sociais

É ineviatável ! !

Como aplicar a Psicologia ?

Mudanças cognitivas

  • Cognição na terceira idade vs. declínio cognitivo
  1. velocidade de desempenho
  2. memória

INE: Há 112 idosos por cada 100 jovens em portugal

A tendência de envelhecimento da população contínua a crescer desde 2000, anos em que o número de idosos suplantou o número de jovens.

A população jovem (indivíduos com menos de 15 anos) diminuiu face a 2005 e o número de idosos (65 ou mais anos) aumentou para 17.3%. O índice de envelhecimento passou de 110 idosos por cada 100 jovens em 2005, para 112 idosos por cada 100 jovens em 2006.

O número de óbitos em portugal também sofreu uma diminuição de 5.1% face ao período homólogo anterior.

Envelhecimento físico

Declínio cognitivo

causas secundárias

  • Expectativas psicológicas 
  • saúde mental
  • outros factores como por exemplo:
  1. Forma física
  2. Deficits nutricionais
  3. Consumo de álcool
  4. Abuso de drogas
  5. Falta de uso de funcionamento mental

 Demência (deterioração progressiva do pensamento e comportamento, associada a danos cerebrais irreversiveis).

 

 Causas do envelhecimento

  •  factores Hereditários
  • Factores ambientais
  1. vida rural vs vida urbana
  2. casados vs solteiros
  3. obesidade

Reforma 

É necessário uma política social capaz...

Que proporcione um bem estar aos idosos...

O fim da vida... 

 morte e luto

 Confrontar a sua própria morte

 segundo Kubler-Ross

  1. Negação
  2. Irritação/Raiva
  3. Negociação
  4. Depressão
  5. Aceitação

Integração vs. Desespero 

útimos estádios da vida: + 65 anos 

 idade da sabedoria...

Mas também...do confronto Presunção vs. Desprezo

Benefícios psicológicos da actividade física no idoso

  •  Personalidade
  1. Exercício e autoconceito
  2. Exercicio e resistência
  3. exercicio e depressão (factores ambientais, genéticos e orgânicos)
  • Funcionamento cognitivo

Sofrimento

  • O processo de luto

A activdade física serve de "psicologia" nesta fase...levando as pessoas a esquecerem-se um pouco da vida...a conviverem com outros idosos...a desenvolver a memória...a superação...enfim...a serem felizes nesta etapa da vida..Quando se perde o "companheiro de uma vida"...

Difícil situação ! !

Estudos com idosos:

  1. Melhoria das capacidades físicas
  2. promoção e melhoria da auto-eficácia, autoconceito, auto-estima, humor, imagem corporal, satisfação com a vida, felicidade e qualidade de vida em geral
  3. diminuição dos níveis de tensão
  4. deminuição do consumo de medicamentos
  5. Melhoria das funções cognitivas e socialização
  6. Caracteristicas de personalidade mais desejáveis
  7. Maior Longevidade

A educação física pode retardar possíveis declínios na capacidade aeróbia relacionados com o envelhecimento...

Alguns programas de treino aeróbio têm melhorado substancialmente o VO2 máximo em idosos.

Mas...A investigação tem sido escassa e contraditória, nomeadamente no que se refere aos efeitos do exercício no funcionamento cognitivo dos idosos...

Desmotivação do idoso 

  • Velhice/sedentarismo
  • tempos livres/maus hábitos
  • Nível educativo baixo/crenças
  • Dificuldades económicas
  • Meio rural/citadino
  • Inexistência de locais apropriados

Contudo,nem todos os tipos ou formas de exercício produzem beneficios psicológicos nos idosos !...

60% não tem limitações físicas para a prática de actividade física...

Só 3% pratica exercício físico com assiduidade !

Mas...também apenas 1 em cada 10 portugueses é que pratica actividade física com regularidade....

Se queremos ums sociedade eficiente...saudável...teremos que aplicar uma correcta política desportiva de massas...e de lazer...em coajugação com uma política urbanistica e de equipamentos...

O exercício físico deverá ser orientado por um profissional do desporto e indicado por um médico. 

Exercícios:

  • atraentes e diversificados
  • praticados com moderação
  • de forma gradual
  • na companhia de terceiros

Será actividade física a "psicologia" do idoso ? 

Voltar